Monalisa de Fernando Botero, 1977

Não é uma pergunta retórica. Claro que o conceito de saúde é muito mais amplo, indo além dos exames laboratoriais. Devemos considerar o bem-estar físico, psíquico, social e espiritual.

Será que uma pessoa com o peso acima do recomendado tem o mesmo risco de adquirir doenças, mesmo sem diabetes (DM), hipertensão (HAS) e dislipidemia (DLP)?

Essa é a pergunta que pesquisadores tentaram responder. Não somente o risco de doenças cardiovasculares comparando obesos e não obesos, quando nenhum fator está presente (DM, HAS, DLP), mas também o risco quando algum destes surge ao longo de anos.

Foi mais um estudo de coorte observacional acompanhando cerca de 3,5 milhões de indivíduos ao longo de um pouco mais de 5 anos. Este número só é possível a partir de bancos de dados bem organizados e disponíveis às instituições de pesquisa. Para aqueles que pensaram porque não fazem algo parecido aqui no Brasil… esse é outro tema de discussão.

Resultados:

Os obesos sem anormalidades metabólicas, assim chamadas estas outras condições, tiveram alto risco de doença arterial coronariana, doença cerebrovascular e insuficiência cardíaca, comparado aos indivíduos de peso normal e sem outras “doenças metabólicas”. Como era de se esperar, o risco de doenças cardiovasculares aumentou conforme o indivíduo adquirisse alguma condição associada, independentemente se apresentasse peso normal, sobrepeso ou obesidade.

Discussão:

Com todas as limitações de um grande estudo observacional e com dados coletados entre 1995 a 2005, temos um importante indício: não existe “obeso fit”. A partir da análise, há um incremento em risco cardiovascular a cada anormalidade metabólica adquirida. Quando se compara a presença das três principais doenças (hipertensão, diabetes e dislipidemia) associadas à obesidade, duas pessoas com sobrepeso possuem riscos diferentes, excluindo outros fatores confundidores, como idade, sexo, história familiar de doença cardiovascular etc. Por exemplo, aquele com obesidade e as três condições metabólicas (DM, HAS e DLP) apresenta claramente mais chance de algum evento do que aquele com 2 ou apenas uma condição.

Pelo menos de uma perspectiva cardiovascular (foco do estudo), não podemos dar moleza para a obesidade. Mesmo o mais fit dos obesos deve ser encaminhado à um programa de perda de peso.

Referência

J Am Coll Cardiol. 2017 Sep 19;70(12):1429-1437. Metabolically Healthy Obese and Incident Cardiovascular Disease Events Among 3.5 Million Menand Women. Caleyachetty R1, Thomas GN2, Toulis KA3, Mohammed N1, Gokhale KM1, Balachandran K4, Nirantharakumar K1.