Sim, para a surpresa de alguns, é possível gerar uma gravidez após sexo vaginal ainda que não haja ejaculação.

Atualmente existem diversos métodos contraceptivos: desde os medicamentosos injetáveis contendo hormônios até os caseiros como a “tabelinha”. Cada método tem as suas vantagens e desvantagens, suas indicações e contra-indicações e principalmente sua taxa de eficiência. Segundo estudo recente, a taxa de eficiência de não ejacular durante uma relação sexual por via vaginal ou de ejacular fora da cavidade vaginal (coito interrompido) gira em torno de 80%, ou seja, a cada 5 mulheres que fazem uso desse método, 1 estará grávida ao final de 1 ano!

Dentre os métodos disponíveis atualmente,o DIU (Dispositivo Intrauterino), seja ele de cobre ou hormonal, é a forma reversível mais eficiente para se evitar a gravidez indesejada. Consiste na introdução, em umconsultório médico, de um aparato através da vagina, chegando até o fundo do útero. Podendo ficar alojado lá por até 10 anos. Dessa forma, a cada 1000 mulheres que usam DIU apenas 5 estarão grávidas. Perdendo apenas para a laqueadura ou vasectomia (irreversíveis), nos quais 1 mulher estará grávida a cada 1000.

 

Resumindo, não há método contraceptivo perfeito muito menos 100% eficiente. Assim, costuma-se sugerir a utilização de dois métodos associados, sendo um deles a camisinha masculina. Importante para se aumentar a efetividade da anticoncepção e para prevenir a transmissão de infecções sexualmente transmissíveis, entre elas HIV, hepatíte B e C e herpes genital.